fbpx
qual-concurso-escolher-Dicas

(Manual do Foco) Como escolher o concurso que é a sua cara – e ter certeza de que vai passar

Para você que ainda não se decidiu sobre qual cargo público escolher.

Pessoas demais querem passar em concursos públicos, mas muitos têm dúvidas, medos e indecisões demais para conseguir focar do melhor jeito. Às vezes, eu pergunto algo simples, como: “para que concurso você está estudando” e recebo um verdadeiro “cri, cri, cri” como resposta (adicionado a um olho esbugalhado).

Existem muitas dúvidas a respeito de provas… de planejamento de estudos… de técnicas de aprendizagem… enfim, assunto é o que não falta quando o tema é passar em concursos.

Antes de qualquer coisa, entretanto, a pergunta fundamental tem de ser: qual é o concurso ideal para mim? Como escolher a carreira certa? É possível isso? É relevante essa escolha ou qualquer cargo tá bão?

Acho que todo concurseiro já deve ter escutado milhares de vezes que é preciso ter foco para alcançar o sucesso no concorrido universo dos concursos públicos. Se você acompanha meus posts aqui no blog, já sabe muito bem que não basta manter um ritmo super puxado de estudos para garantir a sua aprovação (ao contrário, eu busco sempre acrescentar algo de valor que torne a aprovação menos árdua, chata ou demorada).

A verdade é que vários detalhes contam no momento de acelerar a aprovação, e um dos mais importantes (apesar de eu ter demorado para falar sobre isso) é a escolha do concurso certo para VOCÊ!

Para isso, vou falar sobre os seguintes assuntos:

  • O que deve ser levado em conta (além da remuneração)
  • Conheça suas possibilidades
  • Considere seus interesses
  • Leve em conta o que você quer fazer depois de passar
  • Pense no que você gostava de fazer quando era mais novo
  • Desconstrua seu futuro
  • Tenha objetivos claros, assim você não perderá tempo
  • Comece pelo edital
  • Pergunte a quem já passou se vale a pena
  • Fique atento às especificações sobre a vaga
  • Preveja sua segurança financeira e de tempo
  • Você está disposto a se mudar?
  • Reflita sobre a rotina e a carga horária
  • Nada de atirar pra todos os lados!
  • De olho na concorrência
  • O paradoxo da escolha
  • Exercício prático para que você faça sua escolha

 

O que deve ser levado em conta (além da remuneração)?

Atirar para todos os lados nem sempre é uma boa ideia. Com frequência, aspirantes a um cargo público acabam pensando apenas na remuneração…

…como se dinheiro fosse a única questão determinante para tudo.

Cara, não me leve a mal, eu adoro dinheiro, e adoro falar sobre dinheiro, mas levar só esse aspecto em conta acaba causando o efeito contrário e você, no final das contas, acaba perdendo grana mesmo ganhando mais que os outros. Faz sentido?

A verdade é que muitas outras coisas entram nessa balança: o local para onde o cargo é destinado, a rotina, as horas de serviço e o trabalho em si. Isso sem falar em detalhes como, por exemplo, testes de aptidão e disciplinas específicas de cada concurso público.

Fazer uma escolha consciente e ponderar para tomar a difícil decisão sobre em qual concurso se inscrever pode aumentar, e muito, as chances de atingir seu objetivo. Ter em vista um cargo compatível como o seu perfil vai te deixar mais motivado para superar um dia a dia mergulhado nos livros, além de evitar frustrações depois que você for nomeado.

Depois de ler isso tudo, você deve estar se perguntando: mas, Carol, o que é que eu tenho que fazer para descobrir quais vagas são certas pra mim?

Nesse artigo eu vou te mostrar alguns pontos em que você deve prestar atenção na hora de se decidir. Preparado? Vamos em frente!

 

Conheça suas possibilidades!

Todos nós sabemos (ou pelo menos a grande parte dos concurseiros…) que a estrutura do nosso governo é bastante ampla e as possibilidades de ingressar na carreira pública são das mais variadas. Tribunais, autarquias, agências reguladoras, áreas fiscais, trabalhistas, militar, previdenciária, bancos…ufa.

São muitas as opções de órgãos e cargos que muitas vezes deixam o candidato sem saber muito bem qual seria o melhor caminho para ele de acordo com seu perfil, interesses, objetivos e facilidades.

Por isso, é importante que você conheça suas opções!

Uma ideia é dar uma curiada no Fórum CW, ou no Fórum Concurseiros. Eles têm uma penca de depoimentos sobre os mais diversos órgãos públicos! Tire um tempinho para ler os conteúdos que os aprovados deixam por lá!

Outra ideia (essa aqui é para quem realmente quer escolher o órgão público A DEDO) é ler o livro do Bruno Fracalossi: o Guia Completo das Carreiras Públicas Federais! Muahuahuaua! :)

 

Considere seus interesses!

A primeira coisa que devemos levar em conta antes de decidir em qual direção iremos à carreira pública é considerar os nossos interesses. O que exatamente você está buscando? Apenas uma remuneração maior que na área privada? A estabilidade? O trabalho daquele órgão em si? O status que aquela profissão trará perante a sociedade?

Muitas são as possibilidades.

Como já falei, normalmente, a grande maioria dos candidatos dos concursos públicos visa apenas os dois primeiros aspectos: a remuneração e a estabilidade.

Claro que esses são itens fundamentais e atraentes e talvez os grandes fatores diferenciadores em relação ao trabalho na área privada – porém, é necessário listar tudo aquilo que você gosta o que realmente lhe interessa (isso não só em termos profissionais, mas também na vida!) e comparar se aquele trabalho naquele determinado órgão lhe dará condições de alcançar esses objetivos e interesses.

Por isso, peguem um papel e comecem a listar quais são os seus maiores interesses.

 

Leve em conta o que você quer fazer depois de passar…

Esse é um ponto muito interessante e que muita gente deixa de pensar e analisar no momento em que decide se tornar um candidato a um cargo público.

Costumo dizer a algumas pessoas que o concurso público não termina no momento da prova. Por incrível que pareça a vida continua após isso!! (haha). Vamos supor então que após uma longa trajetória de planejamento, estudo, dedicação, abstinência de lazer (isso ocorre muitas vezes, viu?) você consegue realizar uma prova excelente e… olhe lá… seu nome está na lista dos aprovados!!

E agora? Sua vida vai mudar… mas será que vai mudar dentro daquilo que você estava querendo e esperando?

Por isso é muito importante que você considere tudo aquilo que você quer fazer depois de passar no concurso. Isso é importante no momento de decidir qual certame irá participar porque muitas vezes a “vida pós aprovação” pode acabar tomando rumos que não estavam previstos por você antes de fazer a prova (mas que deveriam).

Por exemplo, se você é daqueles que sonha e imagina em ter sua vida estabilizada, com um bom salário que te permita viajar aos fins de semana e curtir lugares que sempre desejou mas que nunca teve a oportunidade, será mesmo que aquele cargo nas forças armadas ou na Polícia vai facilitar isso? Você já considerou a hipótese que muitos trabalhos podem acontecer exatamente nos fins de semana? E se você passar para a Polícia Rodoviária Federal, um concurso altamente desejado e concorrido, mas que aloca muitos de seus servidores exatamente nos fins de semana e feriados (quando todo mundo está saindo justamente para fazer o que você queria: viajar!).

Então é muito importante que você considere tudo aquilo que você pretende fazer depois da sua aprovação, não se prendendo ao exemplo que dei. Muitos podem pensar em fazer uma segunda faculdade, aprender um novo idioma, alguns querem ensinar em alguma universidade… aquele cargo público permite isso? Por isso, nesse passo 2 liste tudo aquilo que você imagina e gostaria de fazer após a aprovação, já sendo servidor público!

 

Pense no que você gostava de fazer quando era mais novo (se você não leu nada até aqui, não pule essa parte!)

Esse terceiro aspecto tem uma certa relação com o primeiro. Quando nós éramos crianças, tínhamos muitos desejos em relação ao tal do “o que vamos ser quando crescer”. Bombeiro, policial, médico, advogado, engenheiro de alimentos (de onde eu tirei isso? hahaaha). Muitas vezes aquilo que nós pensávamos quando éramos menores não se concretiza de fato devido a vários fatores. Porém é importante voltar um pouco no tempo e considerar: o que eu mais gostava de fazer quando era mais novo? Tudo aquilo que te fazia sentir vivo, alegre, realizador… que te dava uma sensação de missão cumprida. É importante procurar na memória e listar tudo isso porque poderá te trazer pistas de qual carreira pública seria a ideal para você.

Esse exercício também te ajudará a imaginar em que área dentro do órgão público você poderia ser alocado para que seus desejos profissionais também sejam realizados.

Se você era daqueles que adorava sentar na roda de amigos e liderar as brincadeiras, comandar… brincar de “siga o mestre”, por exemplo (já brincaram disso também?), quem sabe ocupar um cargo de liderança não seja o mais indicado para você? Muitas pessoas sentem-se frustradas por terem um perfil de liderança e arrojado e encontram-se em trabalhos meramente burocráticos (que também são importantes sim! Me refiro apenas a uma questão de perfil). Essas pessoas acabam não encontrando espaço para desempenharem todas as suas potencialidades e se sentirem de fato úteis e cumpridoras de sua missão. O pior é quando elas se tornam pessoas concursadas desmotivadas, rancorosas, e que descontam tudo no público!

Obs.: qualquer semelhança NÃO é mera coincidência.

Por outro lado, existem aquelas pessoas que quando mais jovens adoravam passar horas e mais horas no quarto lendo livros e escrevendo textos, em constante contato com o conhecimento. Talvez um cargo que lhe permita isso (como as carreiras jurídicas que exigem um estudo constante mesmo após a aprovação) seja o mais indicado para essas pessoas.

Ainda existem aquelas que adoravam praticar esportes e estar em movimento quando mais novos. Um cargo militar, seja nas forças armadas ou nas polícias, pode ser uma ótima opção. Se for o seu caso, você sabia que existem inclusive os jogos mundiais militares? E que muitos atletas dos jogos pan-americanos e olímpicos são militares?!

Então vamos lá! Separe um momento, deite, comece a lembrar da sua infância e juventude (ainda estamos nela…rs) e liste tudo aquilo que você gostava de fazer e já não faz mais. Quem sabe você não possa aliar mais um fator de motivação para passar no concurso.

 

Desconstrua seu futuro ←

No passo anterior, falamos um pouco dos tempos de criança e juventude. Olhamos para trás e procuramos tudo aquilo que nos motivava e trazia sensações de prazer e realização.

Agora nesse passo nós vamos olhar para frente! Vamos olhar para nosso futuro.

Muitas vezes já temos todo nosso futuro “traçado” sem nem mesmo ainda termos chegado a ele. Prevemos tudo aquilo que será de nós, nos condenando ao que já será de nós diante daquilo que estamos vivendo atualmente. Somos profetas de nós mesmos. Mas será que deve ser assim mesmo? Por que não reconsiderar a imagem que temos de nós no futuro e começar de novo? Será que você não está simplesmente vivendo a vida de outra pessoa no momento de escolher o seu cargo? Dos seus pais, talvez? Será que não é algo que ELES queriam para você, mas que você nunca quis?

Por isso te convido a desconstruir seu futuro. Esmiuçar cada detalhe do que já pensou para você mesmo.

Um grande empresário e líder brasileiro, respeitado lá fora e considerado uma das maiores influências para jovens, Flavio Augusto (proprietário do time de futebol Orlando City, onde o Kaká joga atualmente) diz o seguinte: “para começar a construir um prédio é necessário antes tirar todo o entulho do terreno”.

Muitas vezes, você tem todo o material para construir sua aprovação. Todo o “material de construção” como livros, curso, planejamento… mas será que você já retirou o entulho de seu terreno?

É importante desconstruir tudo aquilo que já não te serve mais e começar de novo. Pensar para frente. Olhar para um futuro novo. Uma outra frase me soa muito bem: “o passado não dá pra mudar, mas o futuro está intacto”. Isso irá te ajudar a pensar melhor quando decidir qual carreira pública você deseja pra sua vida.

 

Tenha objetivos claros, assim você não perderá tempo

Esse é outro ponto de fundamental importância na hora de descobrir qual o concurso certo para você.

Muita gente quer muita coisa… e existem aqueles que não sabem nem dizer de fato o que querem ou onde querem chegar.

Por isso, TENHA OBJETIVOS CLAROS. Saiba exatamente o que você quer, por que quer e para quando quer. O tempo é um bem escasso por natureza e você não pode mais deixar que decisões sem rumo te façam perder mais tempo que o necessário e retardar tudo aquilo que você deseja para sua vida. Quanto você quer ganhar? Em quanto tempo você quer estar aprovado? É uma casa que você quer comprar? Em quanto tempo acha que é possível isso?

Coloque num papel tudo aquilo que você pretende e estipule um prazo para alcançar. Isso te permitirá avaliar se aquele concurso e aquele cargo irá te proporcionar atingir tal objetivo.

 

Comece pelo edital

Se você é daqueles que sai se inscrevendo em tudo quanto é concurso sem nem mesmo dar uma olhada atenta aos editais, já passou da hora de rever esse hábito.

Uma leitura minuciosa do edital é o primeiro passo para fazer uma boa escolha. Lembre-se de ficar bem atento a algumas questões importantes: para onde é a vaga? Quais são as disciplinas e o conteúdo cobrado? Você já tem familiaridade com esses assuntos? Já estudou essas matérias para outros concursos ou é algo que você nunca viu antes? Tudo isso pesa bastante na hora de organizar a sua rotina de estudos até o grande dia da prova!

 

Pergunte a quem já passou se vale a pena

Uma outra dica valiosa que posso dar para vocês é: fale com aqueles que já passaram para esse mesmo concurso e pergunte a eles se realmente vale a pena o esforço. Nada melhor do que ter um feedback de quem está vivenciando algo que você está apenas imaginando. Pergunte como é o trabalho, se o ambiente é legal, se aquela cidade é mesmo boa para viver. Essa pessoa será o seu referencial para sanar muitas dúvidas que só alguém que já está ocupando aquele cargo pode sanar. Muitas vezes acontecem hangouts na web com servidores públicos falando um pouco sobre a carreira, a profissão, o órgão e outros detalhes da carreira pública. Fique atento, pesquise e participe também! Será uma ótima fonte de informação.

 

Fique atento às especificações sobre a vaga

Antes de fazer sua inscrição em determinado concurso público, procure saber mais sobre a rotina de trabalho daquele cargo. O que o documento informa sobre ele? Quais são as especificações, como é a descrição da vaga? Se você conhece alguém que trabalhe em um cargo semelhante, converse com essa pessoa para descobrir mais sobre a função: como é a rotina de trabalho? Quais são as tarefas mais comuns? Quais habilidades são mais importantes?

Se não conhece ninguém que desempenhe tal função, pesquise na internet, corra atrás dessas informações cruciais. Isso pode evitar desilusões no futuro. Afinal, você vai passar um terço do seu dia no trabalho — é bom tem certeza de que você vai gostar de trabalhar com isso!

 

Preveja sua segurança financeira e de tempo

Esse talvez seja um dos critérios mais utilizados por aqueles que querem começar a estudar para concursos públicos. O planejamento financeiro é um dos assuntos mais discutidos atualmente, não só no ambiente das empresas como também no contexto das finanças pessoais. Saber onde você quer chegar financeiramente e esboçar um planejamento para alcançar seus objetivos é muito importante. Vimos no item 5 que é fundamental ter objetivos claros. Aqui vamos transformar esses objetivos em números e projetar para o futuro como aquele cargo irá te trazer o alcance de tais objetivos.

Elabore uma planilha no Excel (se você não é expert nessa ferramenta, existem centenas de modelos de planilhas financeiras na internet…é só pesquisar!) e coloque mês a mês como seria sua vida financeira com a remuneração daquele cargo e se realmente estaria de acordo com o que você espera para sua vida. De nada adianta pensar apenas na estabilidade que o cargo público proporciona para os aprovados se você não é alguém disciplinado e que planeja sua vida financeira. É preciso também ter uma “mente estável” e conseguir prever sua segurança financeira, inclusive para conseguir realizar aquilo que pretende após a aprovação e até mesmo aposentadoria.

Outro fator também digno de ser planejado é o tempo. Saber exatamente em quanto tempo você quer ser aprovado (muitos querem de imediato, claro..rs) é importante porque materializa seus pensamentos e traz um senso de “obrigação sadia” na hora de estudar. Se você já está pensando em algum cargo público específico pesquise quando foi o último certame e quando provavelmente terá o próximo. Está dentro do tempo que você deseja? Ou você precisa de algo mais rápido?

 

Você está disposto a se mudar?

Eis uma questão importantíssima! A vaga a que você está disputando é para outra cidade? Se sim, você está realmente disposto a fazer essa mudança radical? Vagas para cidadezinhas do interior são muito procurada por concurseiros porque, em geral, a concorrência é menor do que aquelas destinadas às grandes cidades e capitais. Mas essa estratégia não serve para todos.

É preciso pensar com bastante cuidado sobre a mudança, afinal, você estará deixando muitas coisas para trás. Antes de fazer a sua inscrição, coloque os prós e contras na balança. Pense nas consequências e só então faça a sua inscrição!

 

Reflita sobre a rotina e a carga horária

A esmagadora maioria dos concursos públicos exige uma carga horária de trabalho de seis a oito horas diárias. Quem está acostumado com um esquema de home office ou com horários mais flexíveis certamente vai sentir a diferença de ficar preso a horários fixos dentro de um escritório. Pense bem: você vai conseguir lidar bem com essa rotina?

 

Nada de atirar para todos os lados!

Como eu disse no início do post, uma estratégia bem comum dos concurseiros é se inscrever para o máximo de vagas possíveis, como se isso por si só pudesse aumentar as chances de aprovação. Não caia nessa! Embora as provas tenham disciplinas em comum, (português é o exemplo mais óbvio!), os concursos no geral possuem uma série de particularidades, matérias e assuntos específicos a serem cobrados. Quer uma prova disso? Analise um exame proposto por um Tribunal de Justiça e veja como ele é diferente de um da Polícia Militar, por exemplo. Isso para não falar nas provas para cargos nas áreas fiscais, de gestão, jurídica ou nos Ministérios!

É claro que é válido se inscrever para mais de uma vaga por vez, mas somente se os concursos forem de natureza parecida. Isso mesmo, nada de atirar para todos os lados! Com provas parecidas, disciplinas e exigências semelhantes, essa estratégia pode render bons frutos.

Pense nisso na hora de se inscrever para mais de uma prova num intervalo próximo. Estudar disciplinas muitos diferentes ao mesmo tempo pode te confundir e te fazer perder o foco — ou seja, fazer mais mal do que bem!

 

De olho na concorrência

Outra questão que pesa bastante na hora de escolher o concurso certo: Qual é a concorrência para o cargo? Não se trata aqui de fugir de provas disputadas, mas, ao contrário, de saber a dose necessária de preparo para ter alguma chance de sucesso. Se você viu o edital de um prova concorridíssima, como a de Auditor Fiscal por exemplo, e quer se inscrever com poucos meses de tempo restante para o preparo, é bom ser realista e saber que as chances de passar não são boas!

Descobrir o número de candidatos por vaga poderá te ajudar a estipular uma rotina de estudos própria para o concurso em questão: com quanto tempo de antecedência começo a me preparar? Quantas horas diárias reservo para os livros? Tenho chances na disputa? É preciso sempre ficar de olho nos números — mas não só os do salário, viu?!

 

Importante: o Paradoxo da Escolha

Você já ouviu falar de Alice no País das Maravilhas? É um romance mundialmente famoso e respeitado que se tornou conto, desenho, filme. No decorrer da viagem, Alice encontra muitos caminhos que vão a várias direções. Em dado momento, ela pergunta a um gato de sorriso fácil sentado em uma árvore:

– Pode me dizer que caminho devo seguir?

– Isso depende muito de para onde você quer ir – respondeu o gato.

– Eu não sei, estou perdida…

O gato, então, respondeu:

– Sendo assim, qualquer caminho serve.

Eu sempre incluo em meu conteúdo o Paradoxo da Escolha: escolher já é perder. Viva com isso. Você, como Alice, pode saber suas opções antes de decidir. Não feche os olhos, aponte para o globo e faça com que ele rode. Pode ser que o seu dedo caia em Dubai, mas também pode ser que você vá para a Mongólia. Qual é a melhor opção para o seu caso?

Aproveite que você tem escolhas e vá pelo seu caminho.

 

 

“Purô gessó” (por hoje é só)

Então, é isso aí. Reveja cada um desses aspectos (seus interesses, o que quer fazer depois de passar, o que gostava de fazer quando mais novo, como desconstruir seu futuro, como ter objetivos claros, como tirar dúvidas com quem já passou, como prever sua segurança financeira e de tempo) e comece a perceber qual o órgão, carreira ou cargo público mais se parece com você.

Seja feliz não apenas no momento da aprovação, mas também no trabalho e alcance todos os seus objetivos pessoais e profissionais. Escolha certo para não ter que mudar de novo, depois.

Por fim, diga para mim o que achou das dicas. Quais são as suas estratégias na hora de escolher o concurso certo para você? Conte para mim aqui nos comentários!

É sério: comente aí suas percepções e necessidades!

Um abraço e ótimos estudos,

Carol

Compartilhar este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Gostou deste artigo?

Inscreva-se em nossa newsletter e não perca mais nenhum conteúdo.
  • Marcos Venicios disse:

    Ola Carol .
    Inicialmente parabéns pelo o blog, bem esclarecedor, ainda mais para mim que estou iniciando neste mundos dos concursos. Contudo, acabei de me formar em bacharel em engenharia civil, e estou pensando em focar no concurso do DNIT, você acha uma boa? E qual outro área do mundo dos concurso você me indicaria a focar?
    Mais uma vez, parabéns pelo o blog muito bom.
    Aguardo sua resposta.
    Forte abraço.

    • Hey, Marcos!

      Acho uma ótima! =D É bem fácil encontrar um cargo alinhado com a sua área de formação no DNIT. Todavia, o importante aqui é focar em atribuições e órgãos que você gosta.

      Há cargos destinados a engenheiros em diversos órgãos. Dê uma olhadinha por aí observando sempre se você iria querer fazer determinadas atribuições o resto de sua vida e se você gostaria de trabalhar naquele órgão o resto de sua vida.

      Certinho?

      Abraços! ;)

  • Oi carol! Parabéns pelo artigo, ja abriu meus olhos rsrs. Sou bacharel em direito, me arrependo d ter feito o curso por nao conseguir ter um bom aproveitamento. Trabalho na área privada ha 8 anos, mas quero estabilidade, ter minha casa, casar etc e hj n recebo o suficiente para isso.Gosto de ser reconhecida pelo meu trabalho, gosto mto de achar a solução do problema.Talvez me identificaria com área administrativa, mas estou perdida rs…so sei que na área policial ja desistir so de ler suas dicas. Atualmente estou atirando pra todos os lados e n quero isso mais, preciso focar para passar! Vc acha que o concurso do INSS seria interessante pra mim? Gostaria da sua opinião! Bjs

    • Hey, Jéssica!

      Se você procura por área administrativa, acredito que o INSS é uma boa. Dê uma olhadinha nas atribuições do cargo que você pretende escolher e no funcionamento do órgão para ter uma certeza maior.

      É claro que há outros órgãos e áreas para você observar (área fiscal, controle externo, auditoria, fiscalização), mas o INSS é um ótimo órgão. ;)

      Abraços!

  • Olá, Carol! Sou formada em Direito, trabalho há 5 anos no cartório de Registro de Imóveis, mas meu objetivo sempre foi um cargo público, de início comecei a estudar para cargos de nível médio em tribunais, depois resolvi focar para cargo de analista do TRF, porém continuo perdida. Meu sonho na faculdade era ser juíza, porém com o decorrer do tempo acabei desistindo, porque comecei a trabalhar e achei que não conseguiria conciliar o estudo para a magistratura e o trabalho. Hoje, estou perdida, não sei se quero ser juíza ou se quero apenas um cargo como analista em um tribunal, estou totalmente perdida, se eu soubesse exatamente o que eu quero penso que seria mais fácil me dedicar aos estudos. Seu texto foi maravilhoso, li no momento certo da minha vida, apesar de ainda continuar perdida, hahahaha, seu texto me ajudou a refletir melhor. O que você me aconselharia nesse momento? Meu sonho é trabalhar em um tribunal, mas ainda não sei se como juíza ou como analista.

    • Hey, Vanessa!

      Se o seu problema for apenas conciliar estudo e trabalho, acho besteira abrir mão do concurso de Juiz por causa disso. É verdade que esse é um concurso mais difícil, mas ainda é possível.

      Dica: tente listar os prós e o contras para o concurso da magistratura. Se você ainda tiver dúvidas, devido ao grau de complexidade, o mais recomendado seria focar no concurso de analista.

      De qualquer forma, apesar de serem concursos distintos, é possível conciliar o estudo para os dois, justamente porque o conteúdo programático para o cargo de e Juiz é bem extenso.

      É quase certeza que se você se preparar para o concurso de Juiz, por tabela, você vai estar se preparando para o concurso de Analista Judiciário, concorda? Faça o seu planejamento com a união das disciplinas cobradas nos dois concursos, quando um novo edital estiver eminente, você transfere o foco total para ele, certo?

      Abraços!

  • Oi Carol, primeiro gostaria de agradecer pelo seu tempo dispendido para nos ajudar. Faço 25 anos em abril, sou enfermeira, faço residência em cardiologia em um hospital de referência do país. Passei em primeiro lugar na prova e em todo processo seletivo, falta um ano para eu me especializar, porém me sinto completamente frustrada com a minha profissão, não quero fazer isso para o resto da minha vida, não me sinto realizada. Vou pedir demissão e quero estudar para um concurso que não me esgote como a enfermagem me esgota. Amo o ser humano e todas as suas questões, gosto de psicanálise, de ler e amo escrever! Me sinto perdida e acho que já perdi muito tempo, queria focar em uma carreira pública que me permitisse escrever e contribuir para uma sociedade mais justa. Alguma dica? Desculpa o textão, e mais uma vez, obrigada pelo seu tempo!

    • Hey, Carol!

      Acredito que trabalhar mais próximo da área fim de órgãos de controle é o que mais se aproxima daquilo que você quer. Dê uma olhada em cargos de controladorias, tribunais de conta, do próprio legislativo e veja se as atribuições coincidem com as suas ambições. ;)

      Abraços!

  • Oi, Carol! Primeiramente quero te parabenizar pelo artigo. Foi muito esclarecedor. A parte que eu mais gostei foi a da Alice, sou muito fã do romance e até então não tinha reparado nesse trecho da conversa entre ela e Cheshire (o gato de sorriso fácil). Eu sou nutricionista e caí de paraquedas na docência. Me identifiquei com a docência, mas tenho me desencontrado na nutrição desde a faculdade. Acho que meu objetivo hoje é ir em busca de uma outra área (provavelmente psicologia), mas pra isso preciso estar estável. E aí penso em concurso há algum tempo, mas como não sei onde focar atiro pra todos os lados e não acerto em lugar algum. Enfim… Por ora tenho tentado decidir qual caminho seguir.

    Obrigada por ajudar!

    Abraço.

    • Hey Leila!

      Que ótimo saber que posso te ajudar! =D

      Minha dica é: tente focar em algum tipo de carreira, sempre observando se você gostará de desempenhar aquelas funções por um determinado período.

      Escolher entre carreiras administrativas, fiscais, de controle, diminuirá esse leque consideravelmente facilitando a sua escolha. ;)

      Certo?

      Abraços!

  • Olá Carol!

    Sou da área de T.I., mas durante a faculdade nunca senti aquela paixão pela área (não chegava a ser ódio também…). Por algum tempo tentei alguns concursos para Analista de T.I., mas depois vi que aquilo não era para mim.
    Atualmente trabalho na minha área, mas estudo para ser Auditora Fiscal. Comecei há pouco tempo e sei que ainda tenho um bom caminho pela frente. Sinto-me desafiada e isso acaba me motivando muito.

    • Massa demais, Vivian!

      Você não precisa, necessariamente, passar em um concurso da sua área. O ideal é passar em um concurso que tenha atribuições que você curta desempenhar, porque será isso que você fará por boa parte da sua vida. ;)

      Está no caminho certo. ;)

      Abraços!

  • Excelentes dicas Carolzita e principalmente uma otima puxada para a realidade da vida e para refletirmos o que é sonho de realidade. Nao acho que nenhum sonho seja impossivel, basta saber se estamos dispostos a enfrentar a jornada.

    Beijinhos

  • ANDERSON DA SILVA disse:

    Bom dia.
    Trabalho na empresa privada de escala e quando vou trabalhar a noite e um sacrifício para min,não gosto de trabalhar a noite.Fico atirando em todos os concursos e até hoje não conseguir distinguir qual área seguir,faço faculdade de administração e quero seguir na carreira administrativa,o que devo fazer?

    • Hey, Anderson!

      Foque em concursos de carreira administrativa. Normalmente, eles possuem sempre muitas matérias em comum.

      Se você atirar para todos os lados só vai aumentar ainda mais a quantidade de conteúdo que você tem de estudar, concorda?

      Escolha um foco e dedique-se a ele!

      Abraços!

  • Olá CarolAtualmente sou funcionária da Caixa, mas não sou realizada lá.Estou me organizando para estudar para outro concurso e minha maior dificuldade é a falta de um horário fixo para sair do trabalho.Meu cargo é de 6 horas, porém quase sempre faço hora extra(de até 2h), não tendo horário fixo para chegar em casa, somado a isso ainda tenho problema com disciplina na hora de estudar.Alguma dica?Gostaria que desse um feedback sobre o TCU (se valeu a pena, que atividade realiza lá, pontos positivos e negativos,no seu ponto de vista,de trabalhar e como é o ambiente de trabalho)

  • Olá! Já sou servidora do Executivo, mas tenho muito interesse em trabalhar no Legislativo. Gosto bastante da área administrativa. Cheguei a iniciar os estudos para o cargo de Técnico em Material e Patrimônio da Câmara dos Deputados, mas fiquei desanimada com a grande quantidade de conteúdo que nunca tive contato, especialmente da área de contabilidade. Acha que vale a pena insistir neste cargo ou procurar um outro mais direcionado à área administrativa da Câmara ou Senado?

    • Depende de o que você está procurando. Se esse é o cargo dos seus sonhos, aquele cujas atribuições são as que você deseja desempenhar o resta de sua vida, eu diria para você insistir nele.

      Agora, se o seu objetivo e ter uma carreira no legislativo, você pode procurar outros cargos que sejam mais compatíveis com o que você gosta de estudar. ;)

      Certinho?

      Abraços!

  • Depois de tanto tempo insistindo no caminho “errado” agora sei pra onde tenho que ir, isso veio com o trecho “do que eu gostava de fazer qdo era criança?” E foi a luz… gosto de tribunal, e mesmo trabalhando na área fiscal o que mais me alegra quando penso na carreira é a de tribunais mesmo.
    obrigada!!

  • Carol linda, adorei sua postagem, mas confesso que ainda estou em dúvida, eu acabei meu ensino médio agora esse ano, tenho 22 anos e não sei qual concurso fazer, gostaria da sua opinião linda. Bjs desde já agradeço…

    • Hey, Ariane!

      Como você está totalmente sem ideias, tente procurar cargos que cobrem, em seus conteúdos programáticos, matérias que você tenha afinidade. Então, a partir disso, você tente conhecer um pouco desses cargos e veja qual possui atribuições que você gostaria de trabalhar.

      Não precisa “atirar para todos os lados”, ok? Busque sempre aquilo que você tenha afinidade para que você não tenha frustrações no futuro. ;)

      Abraços!

  • Bom dia! Sou concursada do IBGE e ainda estou em estágio probatório. No início gostei mt do trabalho, viajar e fazer pesquisas, mas logo fiquei não só sobrecarregada (mais de 100 horas extras q não são pagas, temos q conciliar com o trabalho para retirá-las) como tbm fui sendo empurrada pra área mais administrativa, que eu não gostei. Não há reconhecimento do trabalho e esforço. Mas também passei no concurso da CAIXA e está com boatos de quem vão finalmente chamar, minha colocação é muito boa. Devo trocar? A carga horária de 6 horas me atrai muito e sou uma pessoa altamente comunicativa e que gosta de desafios. Mas tenho medo de ser mandada para outra cidade (sou casada e estou pagando ap) ou de entrar em outra rotina que não vou gostar… além do salário ser menor.

    Muito obrigada!

    • Hey!

      Acredito que o que deve ser analisado aqui é: atribuições. Você é familiarizada com aquilo que você iria desempenhar na Caixa? Vai gostar de fazer isso o resto da vida? No IBGE, há chances de você voltar a fazer o que gosta?

      O cuidado que você tem de ter aqui é não trocar seis por meia dúzia. De nada vai adiantar trocar o IBGE pela Caixa e continuar frustrada com a rotina de trabalho.

      Banco tem uma rotina de metas e vendas que muitas vezes é bem estressante. Mas há quem goste, concorda? Tente listar os prós e o contras desses dois cargos, em um papel mesmo. Conheça melhor aquilo que você fará caso entre na Caixa. Veja se é isso mesmo que quer fazer o resto da sua vida.

      Certinho?

      Abraços!

  • Paula Rodrigues disse:

    Boa tarde, ajudou e muito o texto, ando meio perdida em relação a qual concurso prestar e pra qual área, trabalhava na agência do Bradesco, e gostava muito da área bancária, acredito que tenha que focar pra concursos de bancos, seja banco do brasil ou caixa econômica federal.
    obrigada pelas dicas :)

  • Ola, primeiramente gostaria de dizer que gostei bastante do texto e queria tirar uma dúvidas se possível. Eu estou me formando em Ciências da Computação dentro de um ano e gostaria de fazer algum concurso público na área de informática após isso, tendo assim esse ano para estudos e preparação, mas não sei exatamente como procurar o que eu quero e talz, você teria alguma dica para esse começo? textos para ler, dicas ou coisas assim?

    • Hey, Nechelley!

      Antes de escolher um cargo, busque conhecer órgãos e instituições públicas. Veja qual delas te agrada mais, combina mais com você e com o que você procura em um ambiente de trabalho.

      A partir disso, após escolher um órgão, procure nele cargos de áreas que você gostaria de trabalhar, ok?

      Foque em procurar um lugar que você gostaria de trabalhar, ok? =D

      Abraços!

      • Entendi, mas em que lugares eu conseguiria essas informações? existem sites que falam disso ou eu teria que procurar alguém que converse comigo?

        • Eu recomendaria que você pesquisasse em fóruns de concursos públicos, como o Forum CW – CorreioWeb ou grupos do Facebook.

          Esses ambiente são alimentados por concurseiros e concursados que entendem bastante sobre concursos.

          Certinho?

          Abraços!

  • Felipe Monteiro disse:

    Bom dia Carol,
    Seu texto foi de grande valia, já escolhi o órgão e qual terreno irei aterrisar rsrsrs! Seus textos fazem com que nós possamos abrir nossas mentes e ter uma visão melhor sobre como e onde buscar! Meu foco será na área jurídica!
    Carol, parabéns pelo ótimo trabalho no Esquemaria, sucesso total para você.

    • Hey, Felipe!

      Obrigada pelo elogio e reconhecimento. ;)

      É ótimo saber que pude te ajudar, nem que seja só um pouquinho. =D

      Abraços!

  • SIMONE DE FATIMA SILVA disse:

    Boa tarde Carol, tudo bem ? Sou formada em Letras, mas não atuo na área. Trabalhei durante 14 anos como telefonista e secretária em uma indústria têxtil, amava falar ao telefone com clientes e representantes do Brasil e até do exterior, falava o inglês mais para recepção mesmo. Depois comecei a trabalhar como corretora de imóveis e amava estar na rua captando imóveis, ou seja, eu tenho muita facilidade para chegar a pessoas de difícil acesso e que não conheço (normalmente empresários, comerciantes) e conseguir a graça deles. Quando criança gostava de dar “aulinhas” e escrever no quadro. Brincava tb de “vendinha” e amava a boneca “meu bebê”. Quando estava na faculdade eu dava fui selecionada para dar aula de inglês no curso extensivo (eu era aluna professora dentro da faculdade). Dei aula para os alunos dos cursos de direito, administração etc… eram poucos, mas eu ameiii… tive oportunidade a 2 meses atrás de dar aula de português em uma escola pública e eu detestei… enquanto dava aula para adultos que queriam estudar me sentia realizada e para esse último público me sentia arrasada.Estou fazendo um curso de português mais complexo, voltado para concurso púbico mesmo (gramática pesada e interpretação de texto). Eu tenho meu lado de “escritório”, mas conversando com pessoas (secretária, telefone ), gosto de rua (captação de imóveis) que é conversar muitoooo…. e tenho o lado professora. Não gosto da área de cálculos, meu raciocínio é lento, mas sei que terei de encarar no concurso que escolher. Estou desempregada e sou solteira, vou ficar em casa estudando. Preciso muito da sua ajuda, o que você me orienta ? Tribunais ? Mas qual cargo ? Gosto sim de estudar , mas não sou dessas “loucas” com livros… Não gosto muito de liderar, mas amo ajudar … eu gosto que alguém lidere e eu seja o braço direito dela…. Carol eu gosto muito de escritório, mas amo fazer contato com pessoas que não conheço na rua …. o que eu faço ?

  • ConcurseiradeSucesso disse:

    Olá, Carol! Boa tarde!

    Desde já agradeço por sua atenção se puder conversar um pouco comigo para me ajudara tomar a decisão de qual rumo tomar no mundo dos concursos.

    Hoje sou servidora pública de uma fundação em MG, nível médio, salário baixo…. mas sempre encarei esse emprego como o primeiro degrau.
    Tenho tentado subir mais um degrau para a carreira de técnico de tribunais, TRT, para então seguir para o meu sonho que é a carreira fiscal.

    Tenho pensado muito se na verdade não deveria mesmo que de forma mais devagar, pois não teria condições de comprar um curso completo agora para a carreira fiscal, mas de já mudar o rumo….

    Estou com n problemas pessoais entre eles com a minha mãe doente e talvez fosse a única coisa que me daria satisfação seria estudar para o que realmente quero…..

    Sem contar que não consigo nem pensar, por exemplo, em estudar processo penal e civil, para TRF que aumenta o desânimo , agora pensar em estudar estatística ou tributário já me enche de ânimo!

    Devo esquecer mais esse degrau e ir para aquele que realmente quero?

    Qual seria a sua opinião?

    Agradeço!

    • Hey!

      Foque no concurso do seus sonhos! Concursos secundários, como o próprio nome já diz, devem ficar em segundo plano. Principalmente nesse caso, em que as matérias da carreira fiscal da prova de técnico do TRT são bem diferentes.

      Só estude para os dois se você tiver tempo. ;) Caso contrário, foco no seu concurso principal.

      Abraços!

  • Lúcio Fontenele disse:

    Conteúdo riquíssimo, muito obrigado pela elucidação!!!

  • >