fbpx
guia-Como-Estudar-Usando-apenas-Questoes

Tática dos feras: como usar questões para aprender teoria

Entenda a tática de como passar em concursos públicos estudando a partir de questões. Essa dica vale ouro!

Se você é daqueles que pegam um livro didático ou uma lei e os leem “de cabo a rabo”, você precisa ver este post! Primeiro, porque você perde muito tempo em assuntos que não têm chance alguma de cair em sua prova; segundo, porque você dá a estes o mesmo peso de assuntos importantíssimos, com chances altas de serem cobrados.

Hoje, eu, Carol Alvarenga, vou falar de uma técnica bastante legal, que aprendi em um cursinho, uma vez, e aprimorei para adotá-la em meus estudos. Ela consiste, basicamente, em você pegar questões da banca que aplicará sua prova e procurar a resposta para estas questões em suas leis e seus livros. Para saber mais, veja o tutorial que fiz no vídeo a seguir (caso prefira material escrito, é só continuar lendo).

Com este post, você poderá ver, em vídeo ou na parte escrita, como usar questões para aprender teoria. Isso vai te possibilitar a:

  1. ver o que mais cai na prova;
  2. estudar normativos com mais facilidade;
  3. aumentar a qualidade de sua memorização.
 

Vídeo com a Tática dos Feras:

Se você prefere ler, leia (é o mesmo conteúdo do vídeo):

Abaixo, eu apresento como é a técnica, sem você precisar dar o play no vídeo. Algumas pessoas preferem ler, então eu achei legal colocar a tática dos feras de forma escrita.

 

Não existe fórmula mágica. Existe fórmula técnica.

Obviamente, não existe fórmula mágica para passar em concursos públicos. Você tem que estudar, estudar, estudar muito. Só que existem algumas técnicas que podem te ajudar a melhorar a qualidade do estudo, de maneira que sua memória seja aprimorada, sua leitura fique mais rápida, seus resumos sejam feitos para realmente serem usados, quando precisar rever algum assunto.

 

Vamos ver qual é esta tal “tática dos feras”, então!

Eu digo que esta tática é muito boa para dois tipos de estudo:

  • Estudar atos normativos (leis, decretos, constituições);
  • Estudar detalhes que devem ser memorizados (fórmulas, entendimentos de doutrinas, gráficos).

Imagina só: seu edital cobra pelo menos duas leis diferentes. Cada uma dessas leis tem 100, 150, 200 artigos. E aí você começa a fazer questões e nota que, nas provas, a banca cobra DETALHES dentro daqueles artigos. Bate um desespero, não bate? Você não vai querer estudar todos os artigos. Não vai ter tempo, nem memória suficientes para isso.

A técnica é válida exatamente para este tipo de situação. Para entendê-la, siga os seguintes passos (eles valem ouro!):

Veja o passo a passo da tática dos feras

Entendeu? Você deve:

  • selecionar as questões de concurso que satisfaçam aquelas características de que falei (isto é, que sejam sobre leis, decretos, constituições, fórmulas, gráficos etc);
  • procurar, nas leis ou nos livros, a resposta de cada questão;
  • marcar, ao lado do parágrafo do livro, ou do artigo, inciso, alínea, parágrafo do normativo, o nome da banca e o ano de cada questão (dessa maneira, você saberá que aquela parte da teoria cai!);
  • repetir esses passos com todas as questões – e, assim, você saberá o que cai ou não.

“CARACA, CAROL, mas é tão óbvio! Como não pensei nisso antes?” Exato. As coisas mais simples da vida realmente são as que mais importam.

Quando você notar, suas leis estarão com muitos artigos com pouquíssimas anotações e poucos artigos com muitas anotações. Olha só alguns exemplos da minha Lei 8.666/1993, em PDF:

Partes que menos caem ficam totalmente em branco! 

Exemplo da técnica dos feras com a Lei 8.666/1993 

Exemplo da técnica dos feras com a Lei 8.666/1993 

Exemplo da técnica dos feras com a Lei 8.666/1993 

Aí vão mais alguns exemplos, dessa vez em alguns dos meus livros:

Idalberto Chiavenato (Gestão de Pessoas) – Tática dos Feras 

 
Pedro Lenza (Direito Constitucional Esquematizado) – Tática dos Feras

 

Essa tática te mostra sabe o quê? Relevância.

Quando você estuda, você deve se perguntar: este conteúdo cai tanto assim para eu dar esse destaque todo a ele? Não seria melhor dar maior relevância a um conteúdo que caia mais?

 

Alguns sites grátis onde você pode encontrar questões

Para encontrar questões e usá-las nesta tática, é muito fácil. Basta você acessar os sites das próprias bancas de concursos e fazer os downloads das provas. Também existem alguns sites que te possibilitam filtrar estas questões, e até mesmo comentam uma questão ou outra. A lista dos que eu indico está a seguir:

  • Questões de concursos (QC): você pode resolver quantas questões quiser, e, de graça, poderá ver até 10 questões comentadas. Uma ótima ferramenta, na minha opinião.
  • Rota dos concursos: trabalha do mesmo jeito que o QC. Uma parte é área livre, outra parte você tem de pagar. Também é muito bom!
  • TEC Concursos: mais uma opção com muitos comentários de professores. Além do sistema de questões, oferece, também, material teórico… só que este aqui não é gratuito!
  • PCI concursos: você pode baixar as provas filtrando por bancas. Um dos sites que mais uso, em meus estudos. É totalmente grátis, para baixar as provas.
  • A Casa das Questões: serviço mais recente que possibilita ver mais de 10 questões por dia. Sugestão da usuária Yasmin (dada nos comentários).
  • Aprova Concursos: o Aprova é um site antigo de preparação, mas fez uma área própria de questões SUPIMPA. Sugestão do Estevao Lobato nos comentários ;)
 

Resumo do que foi visto hoje

Hoje você aprendeu a tática dos concurseiros mais feras que existem. Basicamente, você ficou sabendo o seguinte:

  • não existe fórmula mágica para passar em concursos, mas existem métodos que te ajudam a estudar com maior eficiência;
  • a técnica aqui apresentada é ótima para atos normativos e detalhes que devem ser memorizados;
  • existem quatro passos para você aplicar a tática dos feras: a) fazer a questão; b) procurar a resposta da questão na lei ou no livro; c) anotar o nome da banca e o ano da questão ao lado do artigo da lei ou do parágrafo do livro; e d) repetir os três primeiros passos MUITAS vezes, fazendo várias questões;
  • quando a técnica é aplicada a várias questões, você vai perceber que muito conteúdo não é cobrado na prova.

Obrigada por estar comigo, em mais um post. Comente abaixo o que você achou deste artigo! Dê sua sugestão, tire sua dúvida.

Bons estudos, boa sorte, boa vida,

Carol Alvarenga.

Compartilhar este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Gostou deste artigo?

Inscreva-se em nossa newsletter e não perca mais nenhum conteúdo.
  • Olá, Carol!

    Eu não confio em apostilas. De forma alguma. Sou fã mesmo das aulas em PDF. hehe As aulas em PDF são feitas por professores especializados em aulas em PDF (com linguagem mais simples, clara e didática). As apostilas são apenas compilações do conteúdo que professores de cursinhos dão em salas de aulas, e a elas faltam clareza, didática e, principalmente, questões comentadas. Por isso eu prefiro aulas em PDF a apostilas… =D Vá de aulas em PDF, porque a garantia de qualidade é maior.

    Abraços!

  • Olá, Karinne!

    Primeiramente, muito obrigada pelos elogios! =D Fico muito contente em saber que você gostou das dicas aqui do Esq e, principalmente, da minha história. Espero que você consiga tirar valor de tudo o que você aprender aqui. ;)

    Agora, vamos a suas dúvidas!

    “Gostaria de saber se posso usar a Tática dos Feras desde o início da minha preparação, tendo em vista que escolhi não focar em um cargo em específico?”
    Simmm. A TdosF é uma tática que vai te ajudar a encontrar qual é considerado o conteúdo mais importante pela banca. E isso independe de cargo, órgão, ano, nível de escolaridade… Pode aplicar sem medo.

    “Aproveitando, queria sua opinião acerca dos materiais que já possou:”
    “- D. Administrativo e Constitucional do M. Alexandrino e V. Paulo;”
    Ótimos livros. Super indico. ;)

    “- Português para concursos do Renato Aquino ;”
    Eu não conheço o livro do Renato Aquino, por isso não saberia te dizer se ele é realmente bom. Todavia, os livros que eu sempre indico são o do Décio Sena e o do Fernando Pestana.

    “- T.G.A. do Chiavenato;”
    O Chiavenato é fera. Eu sempre o indico quando o assunto é administração.

    “- e um pacote de matérias básicas do Estratégia (PDF/vídeo/áudio).”
    Tanto o Estratégia quanto o Ponto possuem materiais de muita qualidade. Pode ter certeza que, se você comprar algum material de algum dos dois, você estará adquirindo algo de bastante qualidade. Se você quiser, pode comprar o material voltado para o concurso que você estiver estudando. ;)

    Abraços”

  • Carol, essa tática aplico antes de estudar ou depois de ter estudado um determinado assunto?
    Deixa eu ver se entendi: Pego um máximo de provas passadas do cargo no qual me inscrevi, sublinho as questões que mais se repetem, volto no livro do assunto que eu estava estudando, procuro as partes dessas questões e as destaco também e anoto o ano e o nome da banca ao lado destes destaques. É isso?
    Mais uma dúvida: Essa tática serve para descartar outras questões do mesmo assunto que talvez não caia na prova? Por exemplo: Ao invés de eu ler e estudar todos os parágrafos de um assunto, considero apenas o parágrafo que mais caiu nas provas anteriores?

    Agradeço pela atenção!

    • Olá, Juliene!

      Vamos a suas dúvidas!

      “Carol, essa tática aplico antes de estudar ou depois de ter estudado um determinado assunto?”
      Bom, você vai aplicar essa técnica durante o seu estudo para usar o que produzir como material de revisão. Essa é a minha recomendação, ok? Mas se você encontrar uma forma que se aplique melhor aos seus estudos, não há problema algum em adaptar.

      “Deixa eu ver se entendi: Pego um máximo de provas passadas do cargo no qual me inscrevi, sublinho as questões que mais se repetem, volto no livro do assunto que eu estava estudando, procuro as partes dessas questões e as destaco também e anoto o ano e o nome da banca ao lado destes destaques. É isso? ”
      Não é bem dessa forma que a técnica deve ser feita. hehehe Sempre que você fizer uma questão, você irá voltar em sua fonte teórica e anotará a questão ao lado da resposta dela. Depois que você fizer esse processo várias vezes, você irá perceber que há partes da teoria que estão mais destacadas do outras. Essas partes são o conteúdo mais cobrado pela banca. É esse conteúdo que você irá utilizar. ;)

      “Mais uma dúvida: Essa tática serve para descartar outras questões do mesmo assunto que talvez não caia na prova? Por exemplo: Ao invés de eu ler e estudar todos os parágrafos de um assunto, considero apenas o parágrafo que mais caiu nas provas anteriores?”
      Eu indicaria que você fizesse isso mais em caso de revisão. Se você está estudando a teoria pela primeira vez, não descarte o assunto menos cobrado, apenas dedique menos tempo a ele. =D

      Abraços!

      • Olá, Carol.
        Em média quantas questões por tema você acha interessante fazer? Ex: art 5º da CF tem mais de 200 questões de nível médio da FCC, porém muitas são muito antigas. Devo fazê-las mesmo assim? Acha viável??

        Beijos

        • Hey, Xará! =D

          Vamos a suas dúvidas!

          “Em média quantas questões por tema você acha interessante fazer?”
          Cada matéria terá uma quantidade ideal de questões a se fazer. =D Isso dependerá do peso da disciplina na sua prova, da quantidade de questões disponíveis, da sua dificuldade na disciplina, do seu nível de aprendizado no assunto… Parta sempre do princípio de que você tem de fazer mais de 70 questões daquele determinado assunto do seu edital. Levando em conta as variáveis citadas acima, você aumenta essa número, ok?

          “Ex: art 5º da CF tem mais de 200 questões de nível médio da FCC, porém muitas são muito antigas. Devo fazê-las mesmo assim? Acha viável??”
          Se você tiver somente essas 200 sobre esse assunto, sim.
          O ideal é fazer questões de até 5 anos atrás. Todavia, se houver poucas questões de uma determinada matéria, deve-se utilizar até mesmo as questões que sejam mais antigas do que isso. O foco aqui é aprender com a banca. Se essa for a única forma, é assim que será feito. ;)

          Abraços!

  • Olá, Sandro!

    Pelo menos uma coisa você já percebeu: estudar para concursos requer con-ti-nu-i-da-de. Estudar somente por dois meses para um certame não é suficiente. Iniciar o estudo depois que o edital é lançado não é o suficiente. É preciso estar sempre estudando. Em alguma hora a sua aprovação vai aparecer. ;)

    Agora, vamos à sua dúvida!

    “Tenho uma pergunta, nas ultimas duas provas a banca era a ACAFE, tenho as provas e tal, mas mudou, agora é a FEPESC, e ai? Qual a técnica?”
    Há um tempo, eu gravei um vídeo sobre esse tema. Ele está lá no canal do Esq no YouTube. O link para você acessar o vídeo é: Tenho uma pergunta, nas ultimas duas provas a banca era a ACAFE, tenho as provas e tal, mas mudou, agora é a FEPESC, e ai? Qual a técnica?
    Assista o vídeo e, se você tiver ainda alguma dúvida depois disso, venha me perguntar, ok?

    Abraços!

  • Hey, Rodrigo!

    Muito obrigada pelo carinho. ;)

    É ótimo ver que você conseguiu tirar algum valor das dicas que eu dou aqui no Esq. =D

    Agradeço pela visita e pela confiança. Sempre que puder, retorne. xD

    Abraços!

  • Hey, Concuseira Neves Santos!

    Lá no canal do Esquemaria no YouTube, há um vídeo que pode te ajudar. Eu gravei um vídeo sobre como aprender Raciocínio Lógico. É um vídeo curto e direto com algumas dicas de como fazer com que o aprendizado dessa disciplina seja muito mais simples! ;)

    O link para você acessar o vídeo é esse aqui: https://www.youtube.com/watch?v=okABnvo2OjQ&t=10s

    Qualquer dúvida, estou sempre por aqui.

    Abraços!

    • Jane Ferreira disse:

      Carol estou desesperada pq vou fazer um concurso para uma única vaga da Câmara para Diretor Legislativo. Preciso muito passar entende? Vai cair a Construção de
      1988/Português/Matemática/Informática e a Legislação. Puts a Constituição não sei por onde começar, pois são muitos artigos. Porém achei bem interessante as suas dicas. Vou tentar utilizá-las. Obrigada!!!! Um abraço! Jane

      • Hey, Jane!

        Sempre que você sentir dificuldade em disciplina ou não saber por onde começar a estudar determinado assunto, dê uma olhadinha em livros ou cursos sobre a matéria. Isso irá te ajudar bastante.

        Em relação a Direito Constitucional, recomendamos o livro do Pedro Lenza ou o Livro do Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo; já cursos, recomendamos o Grancursos (https://goo.gl/HuZmaB).

        Certinho?

        Abraços!

  • Aline Vianna disse:

    Oi, Carol! Gostaria de tirar uma dúvida, a qual, acredito, já deve ter sido objeto de sua análise por inúmeras vezes (hehe).

    Comecei há alguns meses o estudo focado em concursos de tribunais, para o cargo de analista. Estou fazendo um curso em videoaulas para poder por a matéria em dia, eis que sou formada desde 2010 e possuo inúmeras matérias que não coloco a mão há séculos.

    Conforme aconselhado aqui, resolvo questões do qconcursos. Comecei fazendo o curso por umas 6h/dia e tirando 1h para resolver questões aleatórias. Por fim, vi que isso não estava trazendo quase nenhum efeito sobre a minha aprendizagem, então parei, fui revisar a matéria estudada e me propus a resolver todas as questões que tivessem no site sobre o tema, juntamente à feitura de um caderno de erros (e quase-erros), onde, a cada questão que errava ou acertava no chute, pesquisava o porque do erro e como seria a forma correta, reescrevendo-a no caderno de erros.

    Foquei também no aprendizado ativo, fazendo mnemônicos, pesquisando, reescrevendo, desenhando… Todo o possível para fixar os assuntos. Vi que o aprendizado atinge de fato camadas mais profundas de memória assim.

    Ocorre cheguei a tributário. Você deve estar se perguntando: e daí? rsrs

    Quando fui filtrar por assunto, vi que tinha um zilhão de questões, eis que todas as questões que estou resolvendo são sem filtro específico, somente os de matéria e assunto (mais a exclusão das questões anuladas e desatualizadas). Além disso, me deparei com questões para os mais variados cargos (p.ex. auditor – que, na minha cabeça, cobra aprofundamento bem maior para o cargo de analista), descobrindo que a matéria do curso não tocou em MUUUUUITOS assuntos, mas fiquei me perguntando se era realmente necessário saber todos esses aspectos, já que vou fazer para analista. como você aconselha a filtragem?

    • Hey, Paulo!

      Um dos defeitos do Qc é esse: nem todas as questões estão classificadas. Então, em alguns casos, você terá que ler a questão para saber se o conteúdo dela faz parte do conteúdo do seu edital. Ler também o edital do concurso ao qual a questão pertence é uma opção, às vezes o conteúdo programático daquela matéria, especificamente, é igual ao do seu concursos. ;)

      Outra coisa importante: o aprofundamento de uma questão objetiva não tem relação com o concurso ou cargo em si. É tão possível uma questão de nível superior ter mais aprofundamento em algum assunto do que o contrário. Por isso eu sempre recomendo que não se filtre por cargos ou concursos, mas sim por bancas. =D

      Então, o mais importante aqui, o que você deve sempre saber é se aquele assunto da questão faz parte ou não do seu edital, para que você não estude mais do que você deveria. Se a questão se aprofunda demais ou não em um assunto não deve ser a sua preocupação, certo?

      Faça a filtragem, dessa forma, focando na banca que elaborará a sua prova e nas disciplinas e respectivos assuntos que constam no seu conteúdo programático. ;)

      Abraços!

  • Nãoooo. Se você for usar mais de uma banca, use Cespe e FCC. Caso saia um edital e ele não seja de nenhuma dessas duas bancas, você começará aplicar a técnica em questões daquela banca, ok?

    Abraços!

  • OI CAROL TENHO SEU CURSO ADQUIRIDO JÁ ALGUM TEMPO QUERIA SABER SE O LIVRO INDICADO DE AFO AGOSTINHO PALUDO 4 EDIÇÃO O MESMO MOSTRADO NO CURSO INDICAÇÃO PARA AFO SERVE AINDA PARA O ESTUDO OU SERA QUE NÃO VALE MAIS APENA. SERA QUE ESTA DESATUALIZADO COMPREI O LIVRO MAS TENHO ESTA DUVIDA AO ESTUDAR POR ELE.

  • sabrina maciel de oliveira silva disse:

    adorei o video, estou estudando para a OAB, muita coisa e pensei exatamente em só responder as questões, ma acalmou bem mais suas dicas.

  • Boa Noite Carol. Você acha que dá para usar as partes mais marcadas como um resumo, por exemplo, naquele de 24h, 7 dias e 30 dias? Ou seja, estudava e marcava o máximo meu material e no outro dia eu passava por aquela disciplina, aquele assunto estudado e faria a leitura somente dos mais rabiscado?

    Boa noite e beijos de Luz!

    • Não só acho, como é isso que eu recomendo. hehehe

      Escrever resumos em uma folha separada é retrabalho. E isso nos faz perdermos bastante tempo com resumo. Estudar as partes marcadas como importantes em um material teórico trará mais benefícios. ;)

      Aplique essa técnica o quanto antes. =D

      Abraços!

  • sobre todos os assustos de gestao governamental

  • RUTE LORDELO disse:

    Boa noite Carol.Li a sua história, gostei.Percebi que o seu site é um canal que disponibiliza dicas maravilhosas para quem está perdido sem um norte para se aventurar no mundo dos concursos.Obrigada por disponibilizar inúmeras dicas, de modo gratuito.Saiba que o seu trabalho tem contribuído por um país melhor, diante do crescente números de desempregados no Brasil.Parabéns!!!!

    • Olá, Rute!

      Obrigada pelos elogios! =D

      Aproveite todo o conteúdo do blog e, qualquer dúvida, é só perguntar!

      Abraços!

  • Ótima, técnica Carol, garanto que agora irá se desenvolver meu aprendizado obrigado

  • Paulo Régio disse:

    Muito bom Carol! isso realmente funciona.

  • Amei o post! Me senti motivada a começar já … sua maneira de escrever é muito agradável. Obrigada por compartilhar.

  • Amei o post … me senti motivada a começar já meus estudos. Obrigada por compartilhar.

  • >