Cespe / Cebraspe
Técnico
Ministério das Comunicações
2022

Texto CG1A1-I

Um dos principais motores do avanço da ciência é a curiosidade humana, descompromissada de resultados concretos e livre de qualquer tipo de tutela ou orientação. A produção científica movida simplesmente por essa curiosidade tem sido capaz de abrir novas fronteiras do conhecimento e de, no longo prazo, gerar valor e mais qualidade de vida para o ser humano. O empreendimento científico e tecnológico é, sem dúvida alguma, o principal responsável por tudo que a humanidade construiu ao longo de sua história. Suas realizações estão presentes desde o domínio do fogo até as imensas potencialidades da moderna ciência da informação, passando pela domesticação dos animais, pelo surgimento da agricultura e indústria modernas e, é claro, pela espetacular melhora da qualidade de vida de toda a humanidade no último século.

Além da curiosidade humana, outro motor importantíssimo do avanço científico é a necessidade de solução dos problemas que afligem a humanidade. Viver mais tempo e com mais saúde, trabalhar menos e ter mais tempo disponível para o lazer, reduzir as distâncias que separam os seres humanos — por meio de mais canais de comunicação ou de melhores meios de transporte — são alguns dos desafios e aspirações humanas para cuja solução, durante séculos, a ciência e a tecnologia têm contribuído.

Apesar dos feitos extraordinários da ciência e dos investimentos públicos em ciência e tecnologia, verifica-se uma espécie de movimento de deslegitimação social do conhecimento científico no mundo todo. Recentemente, Tim Nichols, um reconhecido pesquisador norte-americano, chegou a anunciar a “morte da expertise”, título de seu livro sobre o conhecimento na sociedade atual, no qual ele descreve o sentimento de descrença do cidadão comum no conhecimento técnico e científico e, mais que isso, um certo orgulho da própria ignorância sobre vários temas complexos, especialmente sobre qualquer coisa relativa às políticas públicas. Vários fenômenos sociais recentes, como o movimento antivacina ou mesmo a desconfiança sobre a fatalidade do aquecimento global, apesar de todas as evidências científicas, parecem corroborar a análise de Nichols.

A despeito da qualidade de vida ter melhorado nos últimos séculos, em grande medida graças ao avanço científico e tecnológico, a desigualdade vem aumentando no período mais recente. Thomas Piketty evidenciou um crescimento da desigualdade de renda nas últimas décadas em todo o mundo, além de mostrar que, no início deste século, éramos tão desiguais quanto no início do século passado. Esse é um problema mundial, mas é mais agudo em países em desenvolvimento, como o Brasil, onde ainda abundam problemas crônicos do subdesenvolvimento, que vão desde o acesso à saúde e à educação de qualidade até questões ambientais e urbanas. É, portanto, nesta sociedade desigual, repleta de problemas e onde boa parte da população não compreende o que é um átomo, que a atividade científica e tecnológica precisa se desenvolver e se legitimar. Também é esta sociedade que decidirá, por meio dos seus representantes, o quanto de recursos públicos deverá ser alocado para a empreitada científica e tecnológica.

Internet: <www.ipea.gov.br> (com adaptações).

A respeito de aspectos linguísticos do texto CG1A1-I, julgue o item a seguir.

Na oração “onde ainda abundam problemas crônicos do subdesenvolvimento” (terceiro período do último parágrafo), o termo “problemas” funciona como núcleo do complemento verbal de “abundam”.

Comentário rápido

Eu sempre falo que verbos intransitivos nos ajudam a descobrir O SUJEITO. Se o verbo é intransitivo, não existe complemento verbal.

Na oração “onde ainda abundam problemas crônicos do subdesenvolvimento”, o termo “problemas” não pode funcionar como núcleo do complemento verbal, porque não existe complemento verbal.

O verbo “abundar” é sempre intransitivo.

Coloquemos a frase analisada na ordem direta:

“problemas crônicos do subdesenvolvimento abundam (ali)”

O sujeito é “problemas crônicos do subdesenvolvimento”. Eles que realizam a “ação de abundar”. A palavra “problemas”, então, é núcleo do sujeito.

O que é núcleo do sujeito?

O núcleo do sujeito é a palavra mais importante que nos diz sobre quem ou o que a frase está falando. É o coração da frase, o ponto em torno do qual tudo gira.

Como encontrar essa palavra-chave?

  • Para descobrir quem é essa estrela da frase, você pode fazer uma pergunta simples: "Quem é o foco aqui?" ou "Sobre o que ou quem estamos falando?". A palavra que responde a essa pergunta é o núcleo do sujeito.

Frase: "Meus amigos Frodo e Sam enfrentam muitos perigos na sua jornada até Mordor."

  • Sujeito: Meus amigos Frodo e Sam
  • Núcleo do Sujeito: Frodo, Sam
  • Verbo: enfrentam
  • Complemento: muitos perigos na sua jornada até Mordor

Análise:

  1. Sujeito:
    • O sujeito da frase é "Meus amigos Frodo e Sam". Aqui, "meus amigos" funciona como uma especificação dos sujeitos principais, adicionando uma camada de informação sobre a relação do narrador com Frodo e Sam.
  2. Núcleo do Sujeito:
    • Os núcleos do sujeito são "Frodo" e "Sam". São eles que realizam a ação principal da frase, que é "enfrentam". Mesmo que "meus amigos" introduza os sujeitos, não altera o fato de que Frodo e Sam são os núcleos, pois são os nomes próprios que especificam exatamente quem está realizando a ação.
  3. Verbo:
    • "Enfrentam" é o verbo da frase, indicando a ação que os sujeitos (Frodo e Sam) estão realizando. O verbo está no plural para concordar com os dois núcleos do sujeito.
Núcleo do sujeito-01

Quais são os verbos intransitivos mais comuns em provas?

Verbos intransitivos têm significado completo e não precisam de complemento.

Normalmente são acompanhados de adjunto adverbial de lugar.

Dica: isso vai te ajudar a encontrar o sujeito da oração, que às vezes vem DEPOIS do verbo, quando ele é intransitivo.

Os verbos abaixo são intransitivos ⇒ PONTO! Eles não têm outra possibilidade de transitividade.

  • Morrer
    • Eleanor Shellstrop morreu após ser atingida por um carrinho de compras que escapou do controle.
    • Chidi Anagonye morreu atropelado por um conjunto de condicionadores de ar que caíram de uma janela.
  • Faltar
    • A Janet, sendo um ser não humano, não pode faltar, pois está sempre disponível para ajudar os residentes do Bom Lugar.
    • Jason Mendoza nunca deixou de faltar à inteligência, mas compensava com seu coração puro.
  • Comparecer
    • Tahani Al-Jamil sempre fez questão de comparecer aos eventos mais exclusivos, mesmo após sua morte.
    • Michael teve que comparecer diante do juiz para explicar suas ações no experimento do Bom Lugar.
  • Escorregar
    • Jason Mendoza escorregou em uma casca de banana enquanto tentava fazer uma pegadinha no Bom Lugar.
    • Eleanor Shellstrop quase escorregou na verdade sobre sua identidade errada no Bom Lugar, mas conseguiu se manter em segredo por um tempo.
  • Abundar
    • Abunda sabedoria em Chidi.

Não existem apenas verbos que são SÓ intransitivos. Há inúmeros verbos cuja transitividade temos que pegar pelo contexto.

Verbo ir ⇒ transitivo indireto, intransitivo e pronominal

Verbo ser ⇒ transitivo indireto e intransitivo

Caminhar ⇒ transitivo e intransitivo

Acabar ⇒ intransitivo, pronominal e transitivo

Verbos intransitivos-01

Compartilhar esta questão:

Faça sua pré-matrícula:

plugins premium WordPress
>