[VÍDEO] Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles?

62 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 62 Email -- 62 Flares ×

Hoje eu trago um material muito especial para você :)

Já faz algum tempo que eu venho com essa vontade de publicar o conteúdo do vídeo abaixo no Esquemaria, porque ele é absolutamente fantástico para quem estuda para concursos. Este vídeo mostra 4 mitos sobre aprendizagem, mitos estes que eu vejo todos os dias serem praticados por concurseiros e concurseiras.

Conversando com o pessoal do blog Mais Aprendizagem, da professora Ana Lopes, eu consegui uma autorização especial para colocar o vídeo aqui no Esquemaria, e estou muito feliz em relação a isso, porque eu tenho certeza que é um material que vai te ajudar. Assista a essas 4 dicas. Talvez os mitos ali relacionados sejam a razão porque você ainda tem dificuldades para estudar para concursos.

Após o vídeo, eu escrevo sobre o conteúdo dele, com algumas considerações que são válidas especificamente para concursos públicos. Além disso, há pessoas que preferem ler, e não ver, por isso o post, após o vídeo, é uma mão na roda ;)

 

 

Se você prefere ler acerca destes mitos sobre estudos, leia:

É incrível como estudar pode parecer algo até doloroso para alguns, e as mentiras que dizem sobre estudar fazem esse processo parecer ainda mais difícil.

A verdade é que todo concurseiro tem que aprender quatro fatos essenciais: estudar requer tempo; estudar requer organização; estudar requer dedicação; e estudar requer concentração.

Os quatro mitos que vou mostrar a seguir vão contra esses fatos, e podem levar o estudante a desistir, por pensar coisas como “estudo não é para mim”, “não nasci para isso” e outras razões que, como dizem, a própria razão desconhece.

Então vamos lá, vamos conhecer estes mitos, a partir dos seguintes tópicos:

  • Mito #1: “Estudar é rápido”
  • Mito #2: “Conhecimento é feito de fatos isolados”
  • Mito #3: “Talento é inato”
  • Mito #4: “Eu sou bom em multitarefa”
  • Infográfico com os 4 mitos sobre estudos
  • Baixe este post em PDF

 

Mito #1: “Estudar é rápido”

 

Você pode acelerar, é claro, mas me diz: você acha que vai passar de um dia para o outro?

mito-estudar-e-rapido

Quando a gente começa a estudar para concursos, uma das dúvidas mais comuns é: “em quanto tempo você acha que eu passo?”. Parece até aquela coisa de quando a gente vai ao dentista e pergunta: “quanto tempo eu vou ficar com o aparelho?”.

Os melhores dentistas não respondem um tempo exato. Eles falam: depende de como o seu dente vai se adequar com o aparelho, depende de como você vai levar seu tratamento a sério, depende de você ir ao consultório todo mês, enfim.

O mesmo acontece com os concursos públicos. Em quanto tempo você vai passar? Isso depende do cargo que você quer, da definição de foco, de como você se dedica, de um pouquinho de sorte, às vezes (a gente brinca, mas sorte também faz parte deste processo) e de inúmeros outros fatores.

Só que você tem de ficar consciente do seguinte: estudar para concursos requer tempo. Não é do dia para a noite que isso vai acontecer.

Então, o primeiro mito é: “estudar é rápido”. Ahn ahn. Estudar requer tempo, requer repetições espaçadas.

A verdade por trás deste mito é: estude com antecedência. Não caia nessa de que fulano ou sicrano passou em um concurso em um mês, em dois meses, ou que passou no primeiro concurso que fez sem estudar.

Eu me lembro muito bem quando passei no meu primeiro concurso (Ministério da Educação). Tive um exemplo bem claro, sobre isso. Um dos aprovados chegou para mim e afirmou: “sou garçom, este foi o primeiro concurso que fiz na vida, e passei sem estudar”. Eu fiquei muito encabulada com aquilo, e perguntei a ele: “como será que você passou, já que as matérias são de diversas áreas?”. Aí ele me respondeu: “há muitos anos eu leio jornais todos os dias. Também gosto de raciocínio lógico, então era um passatempo resolver questões sobre isso”.

Ou seja, não é que ele não tenha estudado. Ele só não estudou pelos meios convencionais (livros, cursinhos). A verdade é que é impossível passar só por chutar. Ele estudou, e muito, repetida e espaçadamente, mesmo que inconscientemente.

Tranquilo? Então vamos lembrar do primeiro mito: estudar é rápido. Agora, vamos lembrar da verdade (que é mais um alerta) por trás deste mito: estude com antecedência.

Ok, vamos continuar…

 

Mito #2: “Conhecimento é feito de fatos isolados”

mito-conhecimento-igual-fatos-isolados

Esse aqui é o que eu chamo “o mito da faca de dois gumes”. Ele é um mito, mas com uma pitadinha de verdade.

De acordo com este mito, conhecimento é adquirido com fatos isolados. Os aderentes a este mito simplesmente ensinam as coisas dizendo “é porque é” ou “não tem explicação”.

Acontece que existe contexto para tudo, tudo, tudo. Nada acontece por acaso e, por trás de fatos, há conexões, cenários, circunstâncias.

O avião, por exemplo, não foi inventado do nada, por um gênio só, sem o qual a humanidade não chegaria ao patamar de hoje. Houve um contexto, houve ensinamentos prévios, até chegar lá.

A Ana diz, no vídeo, que o certo é aprender de uma vez por todas, porque, após isso, bastará uma revisão básica para relembrar. Quem tenta aprender decorando tenta aprender sem contexto, o que, no longo prazo necessário para se passar em um concurso, acaba levando ao esquecimento.

“Carol, isso quer dizer que eu não tenho que decorar NADA, para passar em concursos?”.

Não. É aqui que está o pedacinho de verdade por trás deste mito, no que concerne aos concursos públicos. Preparar-se para adquirir conhecimento de longo prazo, que você leva para o resto da vida é uma coisa. Preparar-se para uma prova de concurso é outra.

Principalmente matérias que cobram regimento interno e lei orgânica vão exigir um certo nível de decoreba, sim. Afinal, um órgão tem 15 ministros porque assim foi decidido. O prazo de uma petição é de até 10 dias porque o cara achou que assim que tinha de ser.

Ôh ow. “Então, Carol, como contextualizar algo que não tem contexto?”

Eu te respondo com uma nova pergunta: como você decora números de telefones, datas de aniversário e outras coisas do dia a dia que requerem nada mais nada menos do que memorização?

Fazendo correlações.

Vou dar um exemplo prático. Vamos dizer que as letras para você fazer saques no Banco do Brasil seja, sei lá, Pa C Lo. Sério, eu só peguei quaisquer letras, sem pensar. Agora, como vou lembrar essas letras?

Eu posso lembrar daquela loja de produtos infantis, a Pakalolo, e fazer uma correlação com essas letras. Assim, para lembrar da senha, é só lembrar da lojinha. Ou eu posso lembrar que no banco eu “parcelo”. Tá vendo? Existem palavras que te ajudam a lembrar da senha.

Então como lembrar que um órgão tem 15 ministros, ou que uma petição é de até 10 dias?

Correlacionando. Para mim, por exemplo, a multiplicação “3×5” tem um significado tão grande que ficaria até automático se eu anotasse, ao lado do artigo da lei que diz que determinado órgão tem 15 ministros, a multiplicação “3×5”. Ou eu poderia lembrar da minha festa de 15 anos e simplesmente falar: “ah, esse é o órgão que me lembra da festa de 15 anos”. Se o órgão tem 13 ministros, eu busco uma outra correlação, sei lá, anoto “Zagalo”, ao lado do nome do órgão.

Perceba uma coisa: as correlações são feitas de acordo com o conhecimento de vida de cada um. Você pode não saber por que eu anotei “Zagalo” ao lado do órgão que tem 13 pessoas, mas eu sei, porque isso fez parte da minha vida, de alguma forma.

Então vamos lembrar do mito: “conhecimento é feito de fatos isolados” e da verdade por trás dele: o certo é fazer correlações.

Tranquilex? Vamos para o terceiro mito.

Mito #3: “Talento é inato”

mito-talento-e-inato

Eu me lembro muito bem de um dia em que eu fui a uma aula de matemática básica e o professor estava falando sobre algum concurso em que quem passasse ganharia muito bem, coisa de 20 mil reais por mês.

E aí o professor disse o seguinte: “bom, né? É muito dinheiro, né?”

Daí um aluno gritou, lá atrás: “EU ACHO É POUCO”.

O professor abriu um olhão do tipo “uai, por que você acha pouco”.

Aí o aluno continuou: “muito é um jogador de futebol ganhar R$ 100.000,00 sem ter estudado”.

Daí o professor falou: “ah, mas aí é questão de talento”.

Hehe.

Ok.

Eu não sei se você gosta ou não de futebol, nem sei se é contra ou a favor da copa e tudo mais. Não é a este ponto que quero chegar.

O que interessa, nessa situação, é a gente descobrir a verdade por trás do mito.

Nada, nada, NADINHA é questão de talento puro e simples. Aqui, eu estou deixando de lado os nascidos em berço de ouro, que obviamente têm vantagem sobre outros seres humanos “reles mortais”, e considerando apenas esse mito do “nasci para isso” do “não tenho o dom”.

A verdade é que sendo jogador, estrela de Hollywood ou concurseiro, quem é bom no que faz, quem é realmente bom, é porque ralou muito para isso. Eu me lembro de uma entrevista que o Ganso deu, uma vez, falando que, quando criança, o pai usava os móveis da casa para que ele pudesse treinar futebol, e que todo santo dia ele estava lá treinando para um dia ser bom.

Do mesmo jeito que o Ganso não nasceu craque, eu não nasci sabendo Direito Constitucional. Estudei pra caramba, para conseguir passar.

E qual é a verdade por trás do mito, então? Não há vitória sem esforço. O conselho é simples. Quer passar em concurso? Dedique-se. Vai com tudo, com a certeza de que você só será craque se treinar MUITO.

Resumindo, o mito é “talento é inato” (AI QUE MENTIRA!). A verdade: todo “talentoso” tem tempo de prática. Todo “talentoso” se dedicou MUITO.

Mito #4: “Eu sou bom em multitarefa”

 

mito-eu-sou-bom-em-multitarefa

Esse aqui é um mito muito simples de digerir, mas o mais complicado de adotar medidas práticas para ser desmentido. Eu mesma sofro até hoje com este mito.

O que é multitarefa? É a ação de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Tipo quando você está com um olho no livro e outro no celular, saca?

Aí vem uma galera dizer: “eu consigo fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo” ou “eu consigo estudar com celular, telefone, criança por perto” ou até mesmo “vou deixar a janelinha do Face aberta, aposto que não vai atrapalhar”. É muito comum as mulheres ainda sacanearem os homens, né? “Homem não consegue fazer três coisas ao mesmo tempo”. Haha.

Gracinhas à parte, não é saudável para os estudos fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Ouvir música e estudar, por exemplo, é uma prática comum entre concurseiros. Não faça isso. Sua produtividade cai pela metade, e dizer que é possível ser multitarefa é um mito, quando se trata de estudos para concursos públicos.

Então, lembrando: o mito é “eu sou bom em multitarefa”. A verdade: estudar exige concentração. Como diz a Ana: desligue tudo.

 

Resumindo: infográfico com os 4 mitos sobre estudos

Decidi colocar o resumo em um infográfico, porque fica bem fácil de relembrar quais são os quatro mitos quando a gente os coloca graficamente. Mais abaixo, será possível baixar este infográfico, okay?

Infográfico: 4 mitos sobre estudos

 

Baixe este post em PDF (apenas a parte escrita e o infográfico)

Não é possível baixar o vídeo para PDF, mas o post sim hehehe. Clique aqui para fazer o download.

 

Conclusão

Muita gente comete esses erros porque não conhece ou não sabe como lidar com eles. Agora é hora de por em prática as dicas que dei e melhorar seus estudos ainda mais.

Ficou com alguma dúvida? Tem mais algum mito a acrescentar?

Comente ;)

Bons estudos, boa sorte, boa vida,

Carol.

62 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 62 Email -- 62 Flares ×
  • Thiago Souto

    Excelente matéria Carol, já me tornei um leitor assíduo do blog e fico ansioso pelos posts. Concordo completamente sobre tudo, principalmente na questão do talento, se eu quiser ser um tatuado (por exemplo) e me dedica inteiramente a desenhar eu conseguirei ser um, assim como se eu quiser ser um músico e por aí vai. Quando a pessoa encontra algo que se tem paixão extrema, ele irar entrar de cabeça que nem perceberá. Tem uma frase que eu acho que caberia aqui, e no momento não me lembro do autor, mas é a seguinte:”Faça aquilo que ama e nunca trabalhará na vida.”

    • Perfeito, Thiago! Adoro essa frase ;)
      Você falou comigo nas respostas sobre o Congresso de Aprovados, né? Lembrei do seu sobrenome…
      Abraços e continue firme e forte!

  • andria

    Otima postagem…. repassri a dica a alguns amigos

  • Muito bacana seu post. Já fiz cursinho pra concurso e não obtive um resultado satisfatório, agora descobri algumas das falhas do meu repertório de estudo!
    Obrigado, espero mais dicas. ;)

    • Legal! Eu também já cometi alguns destes erros, Sara ;)

  • Nédivan

    Otima postagem, sempre acompanho o site… aproveitando bem as dicas para colocar em prática.

  • Paulo

    Muito bom Carol!!! Parabéns!!!

  • Lucélia

    Carol, então você acha que estudar ouvindo uma música
    mesmo que seja para concentrar não é bom?

    • Não, Lucélia. Na verdade, a música tira sua concentração. Houve uma época em que eu escutava música clássica, durante os estudos, porque falavam que ajudava na concentração, mas, em pouco tempo, eu já tinha decorado até a melodia das músicas clássicas, aí eu prestava mais atenção a elas do que aos livros.
      Além disso, mesmo que você encontre mil músicas clássicas, há algumas notas mais altas que atrapalham, de qualquer forma. O fato é: quer um estudo mais produtivo? Deixe de lado o mito de que você é multitarefa ;)
      Abraços e bons estudos :)

      • caio

        Comecei a estudar há uns três meses com música clássica (movimento largo), pois li em algum lugar que nosso cérebro tem uma quantidade certa de “bits” e quando estudamos só usamos parte desses bits e o restante fica ocioso consequentemente a mente tende a divagar, aí a música é usada pra ocupar esses bits restantes.
        Eu percebi uma melhora significativa na concentração e assimilação, e demoramos mais pra ficarmos fadigados. Além disso, ainda serve para abafar barulhos externos do ambiente.
        Mas há um problema, com o tempo acontece o que vc relatou, decoramos a música, apesar de ser apenas instrumental, eu resolvo isso temporariamente baixando novas. Mas o importante é salutar. Bons estudos!

    • Müller

      Essa é a única coisa que não concordo nesse texto da Carol. A música clássica sempre me ajuda no início dos meus estudos, sem elas talvez a chance maior seria eu dormir ou ficar pensando em coisas que não tem relação nenhuma com o estudo. Na biblioteca de minha universidade , no local onde ficam as mesas coletivas, é praticamente impossível alguém manter a concentração, pois a maioria só vai pra conversar, então considero a música clássica fundamental para poder estudar em um ambiente desses . Eu ouço musica clássica e Soja. A ressalva que faço é que vc não passe muito tempo ouvindo música. Talvez uns 30 min sejam suficientes, aí quando vc tiver concentrado nos estudos, pode ficar no silêncio de novo.

      • Ótima participação, Müller! É sempre bom ver as opiniões divergentes. Quanto menos multitarefa for o estudo, melhor. Quando não há opções (por exemplo, barulho externo), realmente é bem melhor tentar se concentrar antes. Obrigada ;)

  • Eduardo

    Carol, o mito correto deveria ser “talento é nato”. Talento é inato seria a verdade.

    • Oi, Edu! Não é errado dizer inato ;)
      Dei uma pesquisada no Google e descobri que as duas formas estão corretas e, neste contexto, “inato” é melhor ;)
      Apesar disso, você veio com uma ótima colocação. Eu nunca tinha pensado nisso hehehe…

  • Benedito

    Carol, Boa Noite!
    Parabéns pelo trabalho.

  • Erica

    Excelente!!!!!!!!

  • Renata

    Olá Carol, a pergunta é impertinente para a post mas eu gostaria de saber como você fez para estudar leis específicas, por exemplo preciso estudar as leis n° 8.112 /90 e 9.784/99 para concursos de tribunais e não sei como estudar essa parte, você tem alguma dica? Obrigada!

    • Oi, Renata!

      Ahá, ótima pergunta! Use a “tática dos feras”, sobre a qual eu falo neste post: http://esquemaria.com.br/22/04/2014/tatica-feras-estudar-teoria-questoes/

      • Renata

        Gostei bastante da “tática dos feras” realmente é uma ótima opção a ser praticada, vou começar a utilizar logo!Obrigada pela dica! Ah, o seu site é ótimo, acompanho as postagens aqui e no face! Obrigada por compartilhar material de qualidade!

  • Carol Aires, do MEC

    Oi Carol! Lembrei de uma coisa pra te perguntar.
    O único cursinho que vc fez foi aquele “completo” que vc escreveu no “sobre Carol Alvarenga”? Ou vc fez alguma aula de cursinho específica pro tcu ?
    Estou fazendo algumas aulas no Cathedra e to gostando muito.
    Beijos!
    Carol Aires, do MEC xD

    • O Cathedra é ótimo, Carol! Não fiz específico, não. Para o TCU, estudei de casa.
      :)

      • Egna

        Acompanho há pouco tempo o Esquemaria. Vou dar uma pesquisada em tudo por aqui.
        Tenho 2 duvidas:
        1) Indica os Pdf’s do Ponto/ Estratégia? Quero técnico do TRT (FCC)
        2) Falou da Ana Lopes aqui. Fez o curso dela do AM3? E da Leitura Acelerada? O que achou?
        Obrigada

        • Sim, são dois cursos online muito bons!

          Ahhh, sobre o AM3 eu te respondi pelo email, né?! Como eu disse, eu, particularmente, não indico este, porque as estratégias dela são diferentes das que eu gosto, aplico e envio para todos. Já o “Acelere sua Leitura 3X” (http://hotmart.net.br/show.html?a=M2123980A), eu gostei muito e acho bem válido para os concurseiros, principalmente os que gostam de estudar por aulas em PDF.

          ;)

          Abraços!

  • Renata pullen

    Oi Carol! Primeiro eu queria te parabenizar pela iniciativa. Muitas vezes quando estou cansada nos estudos entro aqui para me animar. É um incentivo muito grande poder te acompanhar. Poste quantas vezes quiser, entro aqui todo dia e já estou quase acabando os assuntos! Por fim, estou esperando seu e-mail para a aula de redações ansiosamente! Abraços e, se Deus quiser, nós encontramos no TCU!

    • Oi, Renata!
      Estou preparando muitos materiais, tanto aqui quanto em vídeos, para postar. Sei que às vezes demora algum tempo (meu último post tem quase 2 meses), mas é porque tenho feito muitas campanhas por email. Segunda que vem, por exemplo, tem aula ao vivo sobre redações do Cespe! Espero que tenha recebido o convite hehehe…
      Abraços e continue voltando!

      • Renata Pullen

        Carol, sua aula foi sensacional! Tive um curso de Redação que se eu tivesse aprendido nas 5 aulas o que aprendi hoje, já teria valido a pena! Você é sensacional! Espero realmente te encontrar no TCU! A-M-E-I estar com você hoje!

        • Obrigada, Renata ;)
          Eu tô muito feliz com o resultado da aula! Acho que consegui passar tudo o que eu queria, e, mesmo com um probleminha técnico ou outro, deu pra levar até o final!
          :)
          Obrigada por ter participado! Bons estudos ;)

  • Bruno Marques

    Oi Carol tudo bem ?? estou com umas dúvidas e gostaria de saber se vc poderia me ajudar quando vc estudou Controle Externo para o TCU em 2012 na parte do Regimento Interno existe a lei Lei Nº 8.443, DE 16 DE JULHO DE 1992. Essa lei que acabei de citar ela contém todos esses tópicos da matéria como =>(((1 Tribunal de Contas da União (TCU): natureza, competência e jurisdição. 2 Organização e funcionamento do TCU. 3 Tipos de fiscalização. 4 Deliberações e recursos ))) estou te dizendo isso porque essa é uma lei Lei Orgânica do Tribunal e nela há existe os tópicos {NATUREZA, COMPETÊNCIA E JURISDIÇÃO E POR AI VAI ENTENDEU }.Essa é a primeira dúvida sabe a outra dúvida é sobre o regimento interno ele foi alterado pela RESOLUÇÃO TCU Nº 246, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 essa resolução tem 289 artigos vc quando estudou vc teve que saber esse 289 artigos ?? eu lendo essa resolução o regimento interno fica praticamente deixado de lado né PORQUE ELA É NO SEU TODO O REGIMENTO INTERNO MAIS ATUALIZADO NÉ POXA ME DESCULPE TE FAZENDO ESSAS PERGUNTAS VIU RSRS UM ABRAÇO !!!

    • E aí, Bruno!

      Aplique a Tática dos Feras, quando for estudar atos normativos. Em Controle Externo, foi isso que fiz, além de ler a aula toda do Érick e boa parte do livro do Luiz Henrique Lima ;)

      Dê uma olhada no meu vídeo: Aqui está: https://www.youtube.com/watch?v=I2HQq1rSHGs

      :)

      Abraços!

      • Bruno Marques

        Oiii Carol obrigado por responder e pela atenção então eu estou estudando essa matéria de Controle Externo pelos cursos do Luiz Henrique Lima do Ponto dos Concursos e do Erick Alves do Estratégia vc estudou pelo livro do Luiz Henrique Lima né eu já tinha visto antes que vc adora de um livro específico hehehe eu estou acostumado com pdf mas acho massa pra caramba estudar por um livro e rabiscá-lo com vontade hehehe no dia 18 eu estarei lá acompanhando sua aula de Redação ok beijosss um abraço !!

    • Cassia

      Olá Carol,
      Adoro o esquemaria, acho suas dicas valiosas, e admiro demais a sua organização. Gosto de sites clean, e o esquemaria é perfeito, o conteúdo é excelente e super organizado.
      Muito sucesso para você garota, permaneço de olho nas suas dicas e conteúdos postados.
      Obrigada.
      Cassia

  • Bruno Marques

    O seu blog é muito maneiro viu continue postando as suas dicas pois elas são bem dinâmicas e intuitivas achei bem bacana seus videos no youtube continue assim não pare rsrsr

    • Hehe… agora que vi que vc já conhece o meu vídeo no Youtube. É isso aí, então :)
      Obrigada, vou continuar postando, sem dúvidas.

  • Mara

    Carol, que massa!! Quanta motivação para ação encontrei no seu site. Abraço! :)

    • Hahahah… obrigada! Realmente se deve agir, mesmo!
      Bons estudos ;)

  • Bruno Marques

    Então Carol minha saga para concursos públicos é longa para vc ver vou fazer a Antaq Cespe, DPU Cespe , (TCU Cespe ) depois vem INSS FCC ou Cespe e algum outro concurso pequeno se aparecer farei também já em 2015 que o terror comece com TRT MG FCC, TRT MS, (não farei todos os TRTs não) Depen Cespe (ABIN Cespe edital costuma surgir bem casca grossa só farei se tiver prova na cidade onde eu moro) Ministério da Sáude talvez ( os concursos de Brasilia com vaga só em Brasilia só farei se tiver prova onde eu moro ) entre outros concursos fantasmas que aparecerem rsrsr como vc pode ver está meio desfocado o negócio né rsrsrsrs a idéia é passar em alguma coisa tomar posse e continuar estudando para passar em outro os concursos de Brasilia com vagas somente em Brasilia não são prioridade porque a galera daí é barra pesada então eu os farei se possível mas como uma sequência de entender sobre aonde eu estou pisando então passar em concursos bons nos estados como Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Ceará não é brinquedo não muita calma nessa hora apesar que a concorrência no Brasil todo está aumentando bastante principalmente por causa dos cursos EAD é por isso que as vezes eu puxo seu saco eu sei e imagino o tanto que vc estudou pra passar no seu concurso o Cespe nivela por cima por isso eu sempre mantenho os pés no chão e vamos que vamos mais uma vez obrigado pela oportunidade de liberar esse espaço no seu blog para a gente desabafar um pouquinho beijosss Carol !!!!

    • Bruno, você pode fazer todos os concursos que quiser, mas É MUITO – EXTREMAMENTE – importante focar em um. Por exemplo: DPU, Depen, TRT e TCU são concursos bem diferentes!
      Se não quiser focar em um, foque, pelo menos, em uma área.
      ;)
      Abraços!

      • Bruno Marques

        Eu já fiz isso e não deu certo sabe concurso de tribunais são complicados dependendo da região não compensa fazer porque nomeia muito pouco Depen e DPU é questão de conveniência e oportunidade se autorizar as 500 vagas que o AGEPEN pediu compensa fazer sendo Cespe prova nivelada por cima a norte de corte não é alta agora se for poucas vagas ai não compensa fazer já o DPU será em todas as capitais e deve ser com opção de escolha nas vagas pelo menos 2010 foi assim ai é tentar a sorte nesses confins do Brasil rsrs a remuneração é baixa, mas para começar está muito bom, já o TCU é só um sonho que não é fácil de se realizar mas como eu não tenho medo de tentar não custa nada tentar, agora as áreas mais distantes mesmo são fiscais e policiais a área administrativa e de tribunais não estão tão distantes principalmente quando é o Cespe envolvido só da pra chorar quando é a FCC e Esaf pois é Carol não tenho muita opção de escolha é isso beijosss professora rsr !

        • Na verdade, até que tem! São muitos concursos hehe.

          • Bruno Marques

            Tomara Carol pois é mas depois da notícia triste lá no Paraná que vi acho que vou abandonar o Depen rsrsrsrsr mas os concursos tops proliferam ai em Brasilia então segundo minhas fontes de concursos está previsto para a Capital concursos do Senado, Camara, Assembléia, ABIN, TJDF, TRF1 , CNMP, TSE, ANVISA, concursos alguns podem sair até o final do ano e outros em 2015 pois Brasilia é terra de rei vc escolhe onde quer trabalhar e quanto quer ganhar basta estudar rsrsrsrsr um dia eu vou morar ai nessa cidade também rrsrsrs toma que os concursos públicos continuem até lá abraço !!!

          • Hahahah terra de rei não sei… mas que haverá estes concursos, haverá!

          • Bruno Marques

            haverá e tomara que vc faça e passe porque vc merece sempre o melhor pelo esforço e dedicação que vc tem, pois é o dono do Alfacon o professor Evandro Guedes costumar dizer assim “pensar grande e pensar pequeno dá o mesmo trabalho então pense grande” é isso ai um abraço !!

          • Exatamente! Há uma frase parecida, de um empresário bilionário americano chamado Donald Trump: “Se você tem que pensar, de qualquer maneira, então pense grande” ;)
            Abraços!

  • Israel Farias

    Uma curiosidade interessante é que, geralmente, as pessoas que parecem muito inteligentes são as que têm um perfil mais analítico, que conseguem ter boas sacadas e ler nas entrelinhas, mas isso também pode ser considerado um talento desenvolvido, pois essas pessoas têm por hábito fazer análises de tudo, o tempo todo. Agora, se o perfil induz a esse comportamento analítico, que aumenta a prática e desenvolve o talento, restaria apenas determinar se o próprio perfil não seria a parte inata da história…

    • Oi, Israel!
      É uma ótima colocação, mas você mesmo falou sobre “hábito”. Se você fizer do conhecimento um hábito, só isso já prova que conhecimento não é inato. É hábito. É dedicação.
      ;)

      • Israel Farias

        É, agora não sei se me expressei mal. Não discordei, só quis entrar um pouco no debate que há no campo da psicologia sobre a personalidade (ou perfil, para usar o mesmo termo) ser ou não inata. O talento, certamente, precisa ser desenvolvido e o conhecimento só pode ser adquirido (não se nasce sabendo). Enfim, concordo plenamente com as ideias do texto. :)

        • Hahaha… relendo, vi que realmente não discordou!
          Sorry ;)

  • Franciele

    Oi Carol, mais um duvida por aqui! Terminei meu cursinho no Damasio de Analista dos Tribunais – 5 meses ( la funciona por modulos, a cada mes temos 2 materias) isso que nao gostei muito, ficar um tempo sem ver a materia, To pensando em fazer outro cursinho, tambem para Tribunais, teria algum para me indicar, ou sera que deveria parar com cursinhos e so estudar mesmo sem aula?
    Obrigada

  • Oi, Franciele! É melhor estudar de casa, agora! Eu não defendo fazer dois cursinhos (fiz isso e não indico).

    • Franciele

      Obrigada Carol! Acho que vou fazer isso mesmo, investir em mais alguns livros bons e estudar em casa! Terias indicacao de material das materias basicas, como portugues e informatica?

      • Oi, Franciele!

        Para estas matérias, eu não conheço bons professores da FCC, mas, se for Cespe, vá de Patrícia Quintão (informática) e Claudia Kozlowski (português).

  • Carol

    Oi Carol, tudo bem?
    Achei o Esquemaria por acaso e estou gostando muito do conteúdo daqui!
    Decidi focar no TCU e já vi as dicas que você deu nos seus vídeos, é incrível como se pode aprender tanto numa simples checagem de emails todo dia.
    Muito obrigada mesmo pelo conteúdo de qualidade e pela disposição em ajudar :)

  • Ana Paula

    Eu tenho costume de quando estudo para as provas do curso de Direito que faço, ouvir musicas clássicas, não é bom? Na verdade moro em um lugar de vizinhos meio barulhentos, musicas alta, muita conversa e acabo me desconcentrando, por isso prefiro ouvir música clássica que acaba me levando ao foco.

    • Oi, Ana Paula!
      Na verdade, isso vem muito de mim. Eu cheguei a estudar com música clássica, mas acabei decorando. Muitos estudos mostram que a música clássica aumenta a atenção, mas eu mesma achei que mais atrapalhou do que ajudou. Se no seu caso a música clássica ajudou, continue! Lembre-se que, acima de tudo, você deve adaptar as técnicas ao SEU melhor jeito de estudar :)
      Abraços! :D

  • Michele Monteiro

    Olá Carol!Descobri seu site a nesta semana e adorei sua dica de ir resolvendo os exercícios para fixar a matéria!!Já estou colocando em prática, mesmo estando um “pouquinho” em cima da hora…três dias para a prova..rsrs..(que droga!porque não descobri esse site antes!!)..bom…fica como experiência pra próxima (necessariamente em janeiro de 2015..). Você diz, assim como TODOS os que trabalham ou lidam com o mundo dos concursos públicos, que ouvir música é extremamente danoso à concentração…então acho que devo ter algum problema…porque eu SÓ consigo me concentrar OUVINDO MÚSICA!!

  • Hahaha! Obrigada, Michele! A questão da música é polêmica, eu sei… hehe… abraços!

  • Muito obrigada, Cássia! :)
    Beijos!

  • Lucas

    Discordo, parcialmente, da parte do talento inato, Albert Einstein era um gênio, ele fez descobertas incríveis a partir do nada… da mesma maneira algumas pessoas chegam a conclusões mesmo sem informações prévias, estou na área educacional e vejo, alunos de 3 anos, que não recebem nenhum tipo de estimulo em casa, terem uma facilidade muito maior do que crianças que são mais estimuladas… um exemplo de talento inato é raciocínio crítico, embora existam aulas que permitam desenvolver esse raciocínio, algumas pessoas simplesmente o têm…. eu acredito que com dedicação pode-se aprender quase tudo… mas é fato que certas coisas, por exemplo, um amigo seu pode aprender em 30 minutos, e você pode levar 4 horas… os dois vão aprender, mas o talento dele o permite fazer isso mais rapidamente… logo, julgo o talento inato como uma variável que permite modificar o fator tempo…

    • Obrigada pelo comentário, Lucas!
      É um tema legal a se discutir.
      Foi legal você ter trazido o exemplo de Einstein… eu tenho um livro chamado “Os Erros de Einstein”, inclusive, que mostra que por trás de toda a genialidade houve suor e paixão… outro gênio (Thomas Edison) afirmou: Talento é “1% inspiração e 99% transpiração”.
      Resultados vêm de muita ação, muita vontade, não de dom.

  • wesley almeida

    Muito motivador suas matérias! Espera que você contínua com esse projeto que só agrega na educação brasileira que vive um descaso.

    • Que bom que você gostou, Wesley! Bons estudos! Abraços!

  • Obrigada, César! Fico muito feliz quando leio esse tipo de depoimento todo fofo, como o seu :)

    Quanto à sua dúvida sobre a música, há estudos de tudo quanto é tipo, alguns falando que dão super certo, outros falando que nada a ver… um dia desses, li sobre músicas de videogame, que melhoram na concentração (os caras criam as músicas exatamente para o jogador ficar concentrado).
    Quanto ao seu comentário, em si, eu achei fantástico. Aliás, a cada novo dia os comentários no Esq têm vindo cada vez mais com conteúdo de qualidade, e isso faz com que as discussões por aqui sejam cada vez mais importantes.
    Eu vou compartilhar seu comentário em minha página do Face e também em minha página do Google Plus, talvez no Youtube, também, para dar ainda mais destaque à discussão.
    Por fim, quero deixar uma parada bem clara: os métodos de estudos devem ser IN-DI-VI-DU-A-LI-ZA-DOS.
    O que eu quero dizer com isso?
    Eu dou inúúúmeras dicas aqui, sobre como estudar, como organizar horários, como se planejar, como resolver questões etc.
    Só que eu aprendi, durante esse tempo de Esquemaria, que do mesmo modo que não existem pessoas iguais, cada pessoa também tem seu modo de lidar com a aprendizagem. Portanto, tudo o que eu falar aqui deve ser compreendido, por você, porém, você deve pegar o que eu falei e organizar sua própria maneira de estudar! Ou seja, individualizar as técnicas de estudos. Aproveitar o que tem de melhor em cada uma para o SEU caso.
    Faz sentido?
    Então, se você se dá super bem com músicas clássicas, se você consegue se concentrar melhor, se seus resultados são melhores escutando músicas… cara, SHOW de bola! Aperte o play e mande ver nos estudos.
    Beleza?!
    Abraços, obrigada pelo super comentário :)

  • Obrigada! Bons estudos! :)

  • Olá, Paula! Fico feliz em ler sua mensagem!

  • Oi, Mateus!
    A tendência é que esse tipo de história nos deixe mais aflitos do que as histórias de pessoas do bem nos deixem mais alegres (por isso, acabamos por ter a sensação de que a maioria dos casos é assim). Não é! Na (GIGANTE) maioria das vezes, as pessoas que passam são do bem.

  • Gratidão, Sérgio, por você ter deixado seu recado por aqui!
    Obrigada de verdade. Abração! :)

  • Obrigada, Pam :)